segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Como você encara a vida?



Como você encara a vida?

Você já parou para pensar em como você encara a vida e o quanto isso influencia no seu dia-a-dia? Caso não tenha feito ainda, sugiro que faça essa reflexão.

É aquela velha história: “o copo está meio cheio ou meio vazio?” Tendemos mais a reclamar ou agradecer por tudo que nos acontece e ver como um aprendizado?

Realmente no meu dia-a-dia, observando as pessoas, vejo como elas podem ser mais felizes pelo jeito que encaram a vida. Conheço pessoas que estão passando ou passaram por situações complicadas, sejam problemas de saúde, pessoais, financeiros, etc. Cada uma age de um jeito e encara a situação a sua maneira. Aquelas que não ficam naquela energia, estilo: “Oh vida, Oh azar!” Conseguem se sair muito bem dessas situações e sofrem bem menos. Recuperam-se desses traumas muito mais fortes. Muitas entendem que as adversidades da vida são para o nosso próprio crescimento como seres humanos.

Então convido a todos a fazerem um teste e também um exercício:
1)      Observe quantas vezes por dia você reclama de algo;
2)      Observe quantas vezes por dia você agradece por tudo que te acontece;
3)      Principalmente observe como se sente nessas situações.

A energia do agradecimento é muito mais leve do que a da insatisfação. Muitas vezes somos muito exigentes. Será que tudo tem que ser exatamente do jeito que a gente quer? Mesmo os infortúnios tem seus propósitos. Muitas vezes, enquanto não aprendemos uma lição que a vida nos dá, o teste da vida se apresenta novamente.

Convido a todos a ver a graça que a vida tem. Não seja tão ranzinza! Agradeça mais, faça mais, reclame menos e sua vida será muitoooooooooooooooo melhor!!!

Recebi hoje, por sincronicidade o texto abaixo que compartilho também:


DEPENDE DE MIM


Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia-noite.

Minha função é escolher que tipo de dia que vou ter hoje.

Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a rua.

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.

Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.

Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter um teto que abrigue minha família e meus pertences.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade fazer novas amizades.

Se as coisas não saíram como planejei, posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.

O dia está à minha frente, esperando para ser o que eu quiser.

E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma ao meu dia e ao mundo.

Tudo depende só de mim.

Autor Anônimo

Fonte: recebido por e-mail de Fátima

Um comentário:

  1. amadinha vim retribuir o carinho
    e informar que meu blog Alcena C V C
    esta fora do ar,mas se quiser me
    encontrar e só me visitar no endereço:

    http://www.facebook.com/alcena.cvc

    Tenha dias lindos e abençoados! bj

    ResponderExcluir

Grata por sua participação!!!