terça-feira, 4 de março de 2014

Síndrome do ninho vazio


Síndrome do ninho vazio

Nesse período do ano, muitos filhos acabam saindo de casa para estudar, muitas vezes em outra cidade. E os pais, normalmente as mamães, são as que sentem mais falta. Uma sensação semelhante acontece quando os filhos pequenos não solicitam tanto a presença da mãe e esta muitas vezes não sabe o que fazer. Principalmente as que decidiram ou não tinham escolha e optaram por ficar em casa cuidando dos filhos. E a pior situação é quando um filho falece então não tem volta, nem para visitar.

Nos dois primeiros casos, o ideal é uma preparação antes do acontecimento – saída dos filhos ou momento de mais independência deles. Como? Envolvendo-se em uma atividade interessante, voltando a trabalhar (pelo menos aos poucos). Dedicar-se a um hobby. Algo que pode ser sido abandonado, pela falta de tempo. E que agora pode ter mais disponibilidade para fazer.

Dedicar-se mais a si mesmo. Autoconhecimento é um processo importante. Saber quem você é. O que gosta e não gosta. Priorizar as suas necessidades. Sem descuidar do resto. É um momento que poderá olhar mais para si mesmo. Isso é muito bom. Mesmo que num primeiro momento possa não gostar muito do resultado. Então, faça como o pessoal dos programas de qualidade dizem: Transforme um problema em uma oportunidade de melhoria e invista em si mesmo.

De repente um banho de salão e quem sabe de loja se o bolso permitir. Para recalibrar a autoestima.
Realizar uma atividade física ajuda o corpo e a alma. Para as mulheres quem sabe a dança do ventre. Já a yoga trabalho o corpo, mente e espírito. Enfim, encontre uma atividade para encaixar na sua nova rotina.

Tomar floral ou fazer um tratamento com terapias que possam ajudar a superar essa fase (nos três casos): reiki, massagem, meditação, etc. Cada um tem o seu o jeito de lidar com as situações. Não deixe a depressão tomar conta da sua vida. Lembre-se é sua vida. Seu filho ou filha ficará muito feliz em ver sua mãe/pai felizes. sufocá-los nunca ajuda. É normal os pais quererem cercar os filhos com cuidados. Mas eles precisam tomar suas próprias decisões para crescer. Lembrem, vocês pais são como uma bússola na vida deles – São exemplos de valores. Esse é o maior legado. E agora que não precisam mais de vocês (de forma direta e irrestrita). Continuem a ser exemplos de perseverança, de luta, de viver.


Lembre-se o mais importante é o amor que preenche a relação. O filho estando fisicamente perto ou longe. Ele precisa estar acalentado dentro do coração. Essa energia é que permanece e aquece a alma e a vida jamais fica vazia com essa riqueza de amor no coração.

2 comentários:

  1. Amiga passei por isto hoje, minha filha foi morar em outra cidade. Confesso que é um momento delicado, apesar de ter criado e preparado os meus 2 filhos para a Vida, de vir me preparando e como Terapeuta ter acompanhado muitas principalmente mães nestas separações, passei por momentos de diferentes emoções, principalmente qdo estavamos juntando as suas coisas e depois qdo voltei de acompanha-la e passei por seu quarto vazio. qdo ia chorar, lembrei das centenas de mãe que não poderão encontrar com seus filhos na sexta feira e contarmos as novidades 1 a outra,dos esforços e das alegrias das merecidas vitórias dela nos últimos tempos e então Peguei 1 floral Emergencial e tomei umas gotas e depois um Disposição e Alegria me apliquei REIKI e fiquei bem. E vamos em frente que a Vida é isto. CICLOS...BORA SER FELIZ... Abreijos amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso amiga!

      Ainda vai demorar, espero hehe, para chegar a minha vez. É preciso fazer alguma coisa. Ficar triste demais não ajuda nenhum dos dois lados, nem de quem fica e nem de quem sai.
      Sei que não é fácil. Pois já estive do outro lado. Quando sai de casa. E não foi fácil. Sem apoio fica mais complicado. Mas nada é impossível se existe amor no coração.

      Obrigada pelo testemunho!

      Namastê!

      Andrea

      Excluir

Obrigada por sua participação!!!