quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Quem fica o que fazer?

Imagem: Estação das Palavras no Monet Plaza Shopping em Santa Maria/RS

Quem fica o que fazer?

Quando alguém se vai, quem fica além da saudade muitas vezes se sente sem chão. Não sabe o que fazer. Principalmente quando a morte do ente querido é repentina. De acordo com a cultura que se foi criado ou que se adere a consideração sobre a morte pode mudar. Em algumas a morte é o fim já para outras um novo começo. Independente desse entendimento a saudade que é sentida pode doer por um longo tempo.

O período de luto pode variar de pessoa para pessoa. A tristeza pode durar um longo tempo. Mas não a vida toda. Florais podem ajudar nesse momento. Comece com o Rescue (emergencial) e depois com a ajuda de um profissional manipular uma fórmula de acordo com os sentimentos que a pessoa está sentindo e as suas reações no dia a dia: tristeza, depressão, apatia, etc.
Envolvimento com alguma atividade até mesmo voluntariado pode dar sentido a vida de quem ficou e ajudar a superar a dor.

Para algumas pessoas o sentimento que fica é de revolta. Não se conformar com a perda do ente querido. Essa sensação pode ser reduzida com vários tipos de ajuda: desabafar com amigos e familiares; consultar um profissional ou ate mesmo a leitura. Ao se identificar com outras historias de vida e como lidaram com essa situação pode ser um alento.

Chorar e se recolher são fases de um período de perda. Muitas vezes a pessoa só precisa de um ombro e/ou ouvido amigo. Quem está perto precisa estar atento aos sinais. A tristeza por um período é normal. Saber a diferença para uma depressão nem sempre é fácil. Nessa hora um profissional pode ajudar.

Com muito amor e carinho pode-se ajudar aos que ficam. E saber que a melhor homenagem que podemos fazer para quem vai é: VIVER PLENAMENTE!

Andrea dos Santos Leandro
Consultora em Harmonização de Espaços