quarta-feira, 11 de outubro de 2017

O brincar deixando a vida mais leve



O brincar deixando a vida mais leve

Em datas especiais começamos a pensar no que torna aquela data única. No dia das crianças não seria diferente. Procuramos comprar um brinquedo e/ou fazer um agrado para as crianças, seja da família, de amigos ou entidades de assistência a infância. E que atitude pode-se ter além?

Essa data pode ser um momento de resgate e tomada de consciência a quantas anda nossa criança interior. Estamos cuidando dela? Como fazer isso? Voltar a brincar de carrinho, jogar joguinhos de vídeo game, de casinha, etc.? Caso não tenha notada fazemos isso no dia a dia. Hoje o brincar de casinha é cuidar da própria casa. Brincar de bonecas é cuidar das crianças, o joguinho de futebol, vôlei e futebol de botão ainda é feito por muitos. Hoje se joga com adultos e não mais com as crianças. O que talvez falte é o olhar lúdico. Não levar tão a sério se perde o jogo. Rir junto com os colegas das jogadas mal feitas. Na infância ensaiamos para a vida adulta. Infelizmente perdemos o lado divertido e inocente de ser.

No livro ABC do Girafês do Jéferson Cappellari da editora Multideia. Ele esclarece o conceito de Inocência que foi distorcido ao longo do tempo. “O que era para ser uma virtude de alguém incapaz de praticar o mal virou sinônimo de ingenuidade excessiva e ignorância” (pág. 15). Acredito que precisamos resgatar essa virtude de brincar mais e levar menos a sério situações corriqueiras. Muitos conflitos poderiam ser evitados desta forma.

Pessoalmente tenho resgatado alguns atos e tornado meu dia a dia mais lúdico: toda segunda-feira jogo vôlei com um grupo de amigos. Rimos muito. A turma mistura aqueles que tem mais experiência com aqueles que tem mais vontade de jogar e se divertir do que técnica – como eu. Deixo aqui o espaço para a risadinha usada nas redes sociais – kkk ou hehehe ou hahaha. Participo das aulas de zumba também. Rimos muito com as meninas mesmo errando e me perdendo em alguns passos de dança.

Dou aula de meditação para a criança e adoro inventar e reinventar brincadeiras e modos de trabalhar a educação emocional com eles. Esses dias numa festa de família resolvi fazer um vestido e acessórios especiais. Na percepção das crianças e dos adultos parecia uma princesa. Então brinquei que era meu dia de princesa! E quando vi o olhar de uma menininha pequena me observando encantada vi que realmente causei esse efeito. Eu quis fazer minha versão mulher maravilha. Uma heroína que quer salvar a humanidade.

Todos nós somos heróis no dia a dia. Ao causar um sorriso sincero o outro ganha o dia. E ao salvar emocionalmente uma pessoa pode tirar ela do risco de uma depressão. Existem muitas formas de ser herói encontre a sua. Lembre que pequenos atos podem fazer a diferença na vida do próximo.

Precisamos cuidar das nossas crianças e ao resgatar nossa própria criança interna fazemos uma ponte e buscamos as virtudes que tornam belo o ser criança. Protegemos os mais frágeis, proporcionamos que eles possam crescer saudáveis e se tornarem adultos mais felizes.


A vida tem seus altos e baixos e quando tornamos nosso dia a dia mais leve. Na medida do possível colocando o lado lúdico nele a vida fica bem mais divertida e alegre. Um pequeno passo para ter vários momentos de felicidade. Todos os períodos são importantes. Enriquecem nossa experiência de vida. Brincar, jogar, cantar, dançar, conversar, compartilhar momentos especiais com os amigos alegra nossa criança interior. Você feliz pode contribuir para os que estão ao seu lado serem felizes e assim por diante.

Andrea dos Santos Leandro
Consultora em Harmonização de Espaços