quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Casa como espelho: sala de estar




Casa como espelho: sala de estar

O nosso lar reflete muito de nós na forma como organizamos e decoramos. Reflete o que estamos vivendo e a maneira como encaramos a vida. Nesse momento vamos falar sobre a sala de estar. Onde recebemos as visitas e também é um local de relaxamento e descontração.

Todos os elementos existentes na sala podem refletir algo ou atrair o que gostaríamos. Os excessos devem ser cuidados. Muito organizado, nada pode ficar fora do lugar reflete rigismo e falta de flexibilidade. Não é possível relaxar num lugar assim. Assim como tudo ficar bagunçado e sem um mínimo de organização o tempo todo pode demonstrar que está precisando um pouco de estrutura e colocar um pouco de ordem na vida.

A casa reflete também fases da vida ou até do ano. Existem períodos que estamos sobrecarregados de atividades seja no trabalho ou estudos. Que sem ajuda tudo vira um caos. Nesses momentos é importante fazer uma reunião familiar e ver o que cada um pode fazer para ajudar ou então pedir a compreensão que por um período será difícil manter a ordem normalmente estabelecida.

Cada pessoa tem o seu temperamento e jeito de ser. Numa casa é preciso desenvolver o respeito mutuo e aprender formas de conviver. Nessa união de pessoas seja marido e mulher. Pais e filhos. Teremos aqueles que são mais acumuladores e aqueles que são desapegos. Teremos aqueles mais organizados e aqueles não tão organizados. Para o bem maior, reuniões podem ser realizadas respeitando a maturidade de cada um. Principalmente dos pequenos abaixo de 4 anos. Para estabelecer boas regras de convivência.

Pode-se começar a observar a sala desse lar como está disposta e decorada. Para melhor convívio os sofás ou cadeiras podem formar um “U” ou um quadrado. Todos de frente para poderem conversar ou desenvolver atividades em conjunto. O ideal não é deixar cadeiras de costas para a porta ou pelo menos deixar a passagem desimpedida. Quando está atravancada dá a ideia que não queremos outras pessoas no lar ou que elas não são bem-vindas. Cuide que pode ser essa a mensagem dada.

Os excessos como já mencionado demonstram um grande apego. Que tal, começar a deixar a vista só objetos que você realmente gosta. Não vale deixar um papai noel em cima da bancada. Ele tem o seu momento todos os anos.

Muitos objetos que lembram ou tenham haver com água representam que as emoções podem estar muito a flor da pele. Como por exemplo: quadros com imagem de mar ou lago. Fontes, plantas aquáticas e aquário. Se não for uma indicação de Feng Shui para esse cômodo então é interessante equilibrar. Principalmente se as cores preto e azul forem predominantes no ambiente. Muitas vezes é uma ação inconsciente. Nesse caso trocar os vasos com água por aqueles com terra e colocar quadros com montanhas pode ser um começo para equilibrar o ambiente.

O ambiente precisa acolher. Verifique como se sente ao entrar na sua sala. O ambiente é claro, tem iluminação natural, tem boa ventilação? Ou se sente oprimido e deslocado? Nesse caso o que pode fazer para mudar? Lembre-se de algumas dicas:
- Entrada desimpedida.
- Usar cores fortes nas paredes só se forem muito bem sintonizadas com o ambiente. Na dúvida coloque uma cor forte só numa parede. Lembre-se que as cores podem influenciar nosso humor e energia. Numa sala pode-se ter cores fortes preferencialmente numa parede. Pode combinar com cortinas, almofadas, estofados ou até com mantas. Precisam de um elemento em comum para não ficar dissonante.
- Para ampliar o ambiente pinte o teto de branco ou cor mais clara que as paredes.

Um ambiente acolhedor é como um abraço. Nada melhor do que chegar em casa e ser recebido pela casa e por aqueles que amamos com essa sintonia.

Andrea dos Santos Leandro
Consultora em harmonização de Espaços